Carinhanha: impasse entre administração e Sindicato dos Servidores; saiba o que dizem os dois lados e informações novas sobre os fatos

“Informações bombásticas e reveladoras apuradas pelo Minuto Bahia”

0
768
Foto|Reprodução

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINSPUC) do município de Carinhanha, sudoeste do estado, está em uma verdadeira batalha contra a administração local por conta de alguns direitos trabalhistas, segundo eles, desrespeitados. Os mesmos alegam que a gestão do prefeito Geraldo Pereira Costa (Piau) está deixando de pagar décimo terceiro de algumas categorias, sobretudo, professores, terço de férias, insalubridade, adicional noturno, entre outros.

A administração nega que esteja devendo décimo terceiro e afirma que tem encontrado dificuldades para outras destas reivindicações. Nós do Minuto Bahia buscamos, como manda o bom jornalismo, investigar o que está por trás de todo esse impasse e, resolvemos investigar cada fator ouvindo várias versões.

Gastos

Inicialmente, o prefeito é questionado por realizar gastos astronômicos em uma festa de carnaval e não realizar estes respectivos pagamentos. Todavia, o prefeito tem alegado, inclusive, em entrevistas que não deve nada aos servidores. Numa reunião realizada no último dia 25 de janeiro na sede da prefeitura entre o gestor, representantes do Sindicato e assessoria de ambas as partes não conseguiram chegar a um consenso.

Paralisação

O Sindicato está se mobilizando para realizar um protesto, segundo eles pacífico, contra o que chamam de desmandos. Essa mobilização incluirá uma paralisação e a não participação dos servidores da educação na Semana Pedagógica. Porém, a polêmica se tornou mais intensa quando na reunião, segundo o Sindicato, a Secretária de Educação – Edésia – teria dito que acionaria reforço policial e da Guarda para garantir que não seja impedida a realização do evento.

Uma nota foi lançada nas redes sociais afirmando justamente isso que a secretária havia dito. A mesma afirmou que criaram um texto falso e atribuíram a ela, mas representantes do Sindicato afirmaram que não se trata de um texto, mas uma transcrição do que consta em Ata da respectiva reunião.

Política

A administração acredita, conforme entrevista concedida pelo prefeito, que existe uma movimentação política por trás do Sindicato. Dois áudios que foram ventilados nos grupos estão sendo utilizados para sustentar essa versão. Lideranças do Partido dos Trabalhadores (PT) como a ex-prefeita Chica do PT, pré-candidata a deputada estadual, oposição à administração, estaria envolvida diretamente, com as manifestações.

Em um áudio uma pessoa afirma que houve uma reunião na última sexta-feira em determinada comunidade entre Chica do PT e um dos representantes do SINSPUC- Elivaldo Donato – que também é do Diretório Municipal do PT em Carinhanha e que estariam levando alguns ônibus lotados de pessoas para o protesto e paralisação. A ex-prefeita Chica do PT, também, teria se reunido com o Sindicato. O representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT) identificado como Calixto, também é uma das lideranças que apoiam o movimento e é simpatizante ao governo do PT, inclusive, áudios do mesmo em manifestações pró-Lula foram divulgados na rede.

O presidente do Sindicato – Lucas Lopes – esteve, também, envolvido nas polêmicas após um áudio do mesmo vazar afirmando que o protesto impediria as pessoas de se inscreverem e participar da Semana Pedagógica. Porém, o mesmo afirmou que se equivocou na fala e que foi um mal entendido, inclusive, gravou outro áudio afirmando que será pacífica a paralisação.

Denúncia

Outra reivindicação do SINSPUC, que, aliás, rendeu uma polêmica, foi quanto aos mandados de segurança que deveriam ser supostamente julgados pelo juiz da Comarca de Carinhanha, mas que o mesmo não havia julgado há mais de um ano. Esses mandados de segurança tratam da relocação de professores para os seus locais de atuação estipulados em concurso público. Muitos foram enviados à zona rural, segundo os mesmos, por perseguição política. Nossa equipe apurou uma informação bombástica em que, supostamente, o advogado do Sindicato Fhad Zuliani Costa Castro teria realizado uma manobra.

A fonte nos informa que o respectivo advogado contratado pelo Sindicato teria dado a entrada nos processos e depois pediu vista. Ou seja, os processos nunca chegaram às mãos do juiz, ficando, desta maneira, com o advogado desde o mês de novembro. Na nossa apuração o que ocorria, segundo a fonte, é que o advogado dava pressão para julgar, mas na verdade havia retirado os processos do fórum.

Na apuração do Minuto Bahia ao tomar conhecimento do fato o juiz mandou devolver os processos e comunicou a corregedoria. Tivemos acesso ao documento da portaria em que o juiz determina que “ ´se´ diligencie a intimação do advogado do Sindicato dos Servidores do Município de Carinhanha… para devolver os autos ao Cartório a fim de que os mesmos possam ser impulsionados”.

Nossa equipe não conseguiu falar com o advogado para que possa dar sua versão dos fatos. Enquanto isso prossegue as articulações para a Semana Pedagógica que ocorrerá nesta terça-feira (30) e que cria um clima tenso na cidade. As lideranças do Sindicato estão irredutíveis e prometem fazer muito barulho, “apitaços” e cobrar os seus direitos.

A administração considera mais um ato político e garante que reforçara a segurança no intuito de garantir a realização do evento, fundamental para o processo educacional no município. Algumas das pessoas citadas na reportagem não foram localizadas pela nossa equipe.

Por: Repórter Radiola (MTB 5173/BA)

Deixar resposta